segunda-feira, 21 de maio de 2012

Linha Palio

Linhas remetiam ao Gol de 2ª geração, o bolinha.
O carro tinha cores exóticas, como Verde Limão e Vermelho Tomatão.
A Fiat precisava de um substituto do Uno nos mercados emergentes, como América Latina, África e no Leste Europeu. Em 1994, a Fiat pesquisou no país de que tipo de carro os brasileiros gostam: E o resultado foi esse: Os brasileiros gostam de carros pequenos e médios que tenham uma aparência robusta. Daí, a Fiat criou o "Projeto 178", como o carro ficou conhecido antes de ser lançado. Em 1996, foi apresentado mundialmente em maio de 1996, o Pailo (Páreo em bom português) nas versões três e cinco portas.
Em 1996, era lançado o Fiat Palio, um hatchback para concorrer com os "bolotas" Gol e Corsa.
O carro tinha frente baixa e linhas arredondadas, o que aconteceu com o Gol no mesmo ano e com o Corsa em 1994. No início, poucas versões: EL 1.5 8V e EL 1.6 16V. O Palio ia de 0 a 100 km/h em 9,5 segundos e velocidade máxima de 190 km/h. O carro era oferecido com rodas aro 13 ou 14, faróis de neblina, ABS e ar-condicionado. Dois meses depois, vinha o 1.0, que era o equivalente a 70% das vendas do Palio. Vinha também mais duas versões: ED e EDX, ambas disponíveis apenas com três e cinco portas.
Como dito antes, o Palio iria substituir o Uno. Mas não deu certo: o Uno continuou em linha e recebeu até uma nova versão: a SX, em 1997.
Do Uno veio a família: Prêmio o sedan, Elba a perua e Fiorino a picape, do Palio veio a seguinte:
Palio Weekend (final de semana em português).
Palio Weekend Adventure: inaugurou a família Fiat Adventure no Brasil.
Disponível na versão quatro portas, a Palio Weekend vinha nas versões Stile 1.5 e Sport 1.6. A Stile era a versão luxuosa, e a Sport, a radical. A Weekend substituía a Elba. Logo depois, a Adventure ganhou um motor ainda mais potente: um 1.8 de 108 cv (dois cavalos a mais que a Weekend Sport).
 
Siena: Chegava em 1997 na Argentina e pouco depois, aqui no Brasil.
O Siena tinha a difícil tarefa de substituir o Prêmio (sucesso na Argentina. Por lá, ele era chamado de Duna).
O sedã vinha em 1997, para substituir o Prêmio/Duna. O Siena tinha duas versões: EL 1.6 8V de 82 cv e HL 1.6 16V de 106 cv. O porta-malas era generoso: 500 litros. O Siena não tinha versão 1.0 e, para deixar isso de lado, a Fiat lançou o Siena 6 Marchas, com para-choque preto e câmbio de (não preciso nem dizer quantas marchas ele tinha) né?
A Strada vinha em 1998, para substituir apenas a versão picape da Fiorino (e não a furgão).
 Em novembro de 1998, era a vez da picape ficar com a cara do Palio. Foi lançada a Strada (nome que havia sido usado no Fiat Ritmo australiano). Ela tinha uma carga bem maior que a das rivais Saveiro, Courier e Corsa pick-up: 705 kg, cinco a mais que Saveiro e Courier e 130 kg a mais que a do Corsa.

Em 1999, vinha o Palio ELX 1.0 e o Young 1.0 (que equivalia a um Cooper 0.8), que se tornava a versão topo-de-linha.

O Palio recebia uma leve reestilização wm 2001...
...com linhas mais harmoniosas e arredondadas.
Painel também chegou a mudar.
Em 2001, o Palio recebia um leve facelift, o que deixava-o ainda mais atualizado diante dos rivais Corsa e Fiesta. Ele vinha com ar-condicionado mais eficiente e direção hidráulica. A família dele também foi atualizada. Olha aí:
O Siena foi o único que agradou (comparado ao antecessor, claro).
O Siena agradou comparado ao seu antecessor. A traseira ficou mais harmoniosa (o encontro entre as lanternas e a placa dava uma silhueta de sorriso), e o porta-malas, aumentou 5 litros, chegando a 505 litros. Ele concorria com Fiesta Sedan (chegou em 2000) e Corsa Classic (de 1997-2010).
A Palio Weekend ficou mais bela e feliz (a antiga tinha cara de brava).
Traseira lembrava o do irmão Siena.
A Weekend chegava em abril de 2001, nas versões ELX e Stile. A perua tinha linhas mais limpas e, a traseira, remetia ao irmão Siena. Ela concorria com Parati (chegou em meados de 2001) e Corsa Wagon (parou em novembro de 2001).
A Adventure? Só em 2002.
A Adventure demorou mais para chegar, chegou em fevereiro de 2002. Tinha motor 1.6, estribos na sessão retangular e subwoofer. Ela concorria com ninguém, pois nenhuma perua (como Parati e Corsa - foi-se em 2001 -, tinham versões aventureiras.
A Strada chegou um mês depois da Adventure.
A Strada chegou em março de 2002 e, com uma novidade: a versão Adventure, que antes vinha apenas na Weekend. A Strada concorria com Saveiro, Courier e Corsa (que já estava de saída).
O Palio recebeu um novo facelift/geração em 2004.
A traseira mudou muito em relação ao antecessor.
O Palio foi renovado novamente em 2004. Toda a família mudou. Ele ganhou a versão Celebration: com um generoso pacote de equipamentos, a Fire: já tinha no Palio G2, mais no G3 ele ganhou mais acessórios, e a 1.8R: a versão esportiva, que vinha na cor Amarelo Indianápolis. O hatch ficava mais arredondado, e o resto, mais bonito. E uma boa novidade: a versão Adventure já dizia tchau ao quebra-mato. O painel era novo: tinha toca CD/MP3 player! Os materiais eram de boa qualidade e a cabine ainda mais espaçosa.
Com visual polêmico, o Novo palio foi mostrado em fevereiro de 2007.
A cor Verde-Kiwi e a lanterna traseira foram parte da polêmica.
O Novo Palio foi apresentado em fevereiro de 2007. Os faróis de dupla parábola com desenho irregular invade a lateral. Na traseira, as lanternas invadem o vidro da tampa, e elas ficam em uma posição baixa, o que lembra o Clio de 2ª geração. Já a placa, voltou a ficar no para-choque. Veja como ficou o resto da família:
O Siena ficou mais bonito e ganhou o apelido de cuore sportivo (coração esportivo).
A Weekend ficou mais bonito e a Adventure ganhou o sistema Locker (sistema anti-bloqueio nas rodas).
A Strada ficou mais moderna e tem cara de cisne.
A Strada Adventure também ganhou o sistema Locker.
Está prevista para este ano a chegada da nova geração do Palio. Ele terá linhas baseadas no Punto europeu (como visto nos flagras) e deverá chegar no 2º semestre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário